Barbear Clássico

Material => Safety Razors => Topic started by: oversaturn on February 22, 2013, 11:52:16 pm

Title: O conceito slant
Post by: oversaturn on February 22, 2013, 11:52:16 pm
Mais um artigo do TonySC, e um dos melhores que já tive oportunidade de ler na net… desta vez acerca dessas máquinas retorcidas, isso mesmo, das slants… aqui deixo a minha tradução, espero que gostem. :)

O conceito slant
por TonySC

Tradução de oversaturn, artigos originais aqui  (http://foroafeitado.com/foro/tutoriales-maquinillas-tradicionales-afeitar-11/el-concepto-la-maquinilla-slant-5204/)e aqui (http://shavenook.com/thread-the-slant-concept).


O prometido é devido (http://www.foroafeitado.com/foro/94092-post11.html), de maneiras que como hoje o mar hoje está desastroso, em vez de surf toca a saldar a dívida desta manhã... espero que sirva para conhecermos um pouquito melhor esta máquina com um cabeçal “esquisito”.

O que se segue é tudo o que consegui aprender acerca das slant, e as minhas impressões, numa intenção de descrever como é realmente esta máquina… a slant tal como eu a entendo. Não é uma revisão propriamente dita, já que me vou centrar mais no “conceito slant” que na máquina em si… os detalhes específicos da Merkur slant já são mais que conhecidos… mas isto pode complementar as revisões já feitas.  

Desde antes do nascimento das máquinas de duplo fio que se sabe que um corte em diagonal é mais eficaz que um corte recto, e isto é válido quer se trate de cortar pão, quer se trate de cortar cabeças. A diagonal é justamente aquilo que deu à guilhotina a sua grande eficácia. As primeiras guilhotinas eram de corte recto, e necessitavam de um grande peso para realizar bem o seu trabalho. O gume diagonal da guilhotina francesa resolveu as “incomodidades” que as de gume recto davam aos réus com o pescoço mais robusto.

(http://up.picr.de/32408217ye.jpg)  (http://up.picr.de/32408218so.gif)
A Halifax Gibbet foi a primeira guilhotina… das de corte recto. A sua eficácia foi superada pela guilhotina de corte diagonal.

Voltando ao assunto mais agradável do escanhoado, já com as navalhas se procurava tirar partido do corte diagonal com gumes rectos, e se ensinava os barbeiros a utilizar a diagonal… com passadas oblíquas.

(http://up.picr.de/32408219iy.jpg)

A vertigem de inventos … e as variações do corte oblíquo


(http://up.picr.de/32408220yu.jpg)

Nos finais do século XIX, Kampfe deu o primeiro passo na direcção das safety-razors com o seu híbrido máquina/navalha. Com a popularidade crescente das safety-razors de duplo fio, no princípio do século passado, houve uma revolução no barbear, e também de ideias. A imaginação desta gente de mente inquieta levou-os a redesenhar mil e uma vezes as máquinas para tirar partido do corte oblíquo…

(http://up.picr.de/32408221nx.png)
Recta de um lado e curva do outro... A ideia de diferentes características de cada lado soa-vos familiar?

(http://up.picr.de/32408222dh.png)

Que máquina vos faz lembrar este cabeçal “Flip-Top”? Pois já em 1913 havia Flip-Tops! !!


(http://up.picr.de/32408246ts.png)

(http://up.picr.de/32408247sf.png)

Ora aqui está uma ideia curiosa – a slant de cilindro!


Quanto menos, estas máquinas são curiosas. Cabeçais redondos (normalmente para o mercado feminino), quadrados, triangulares, todos traziam as suas vantagens, mas todos sucumbiram perante um pequeno problema… a peça essencial de qualquer máquina. Estas estranhas máquinas partilhavam um mesmo objectivo, integrar o corte oblíquo no cabeçal, mas todas usavam lâminas exclusivas, e as lâminas baratas, boas e fáceis de encontrar eram as Gillette. O êxito retumbante das lâminas Gillette acabou com elas. Como seria de esperar, houve quem tentasse integrar o corte oblíquo num cabeçal adequado para estas lâminas, e assim surgiram toda uma miríade de máquinas assimétricas que tentavam facilitar o corte oblíquo:


(http://up.picr.de/32408248qw.jpg)

(http://up.picr.de/32408249cg.jpg)

(http://up.picr.de/32408314ua.png)
Cabeçal recto com "offset" diagonal da lâmina


E enquanto uns esmifravam a cabeça inventando, a Gillette simplesmente sugeria ao consumidor o uso do “Gillette slide”, que o Mantic59 voltou a popularizar no seu vídeo de “Técnicas avançadas” – e que não é mais que a passada oblíqua, ou em diagonal, já usada com as velhas navalhas de barbear.

http://www.youtube.com/watch?v=TQco5PWc2JU

(http://up.picr.de/32408319yc.jpg)
Instruções da Gillette... a passagem diagonal acabou por ser popularizada com o nome de  "Gillette slide"


O Nascimento das slant

(http://up.picr.de/32408324yw.jpg)
A maravilhosa dupla hélice de Bramante

Bem seja utilizando o “Gillette Slide” ou usando algum dos artefactos que vimos, apenas um homem teve uma brilhante ideia, um desenho que deu um passo em frente para verdadeiramente conseguir o que todos procuravam… facilitar um escanhado eficaz e conseguir um apurado fácil.

No que respeita aos desenhadores e inventores de máquinas há certos nomes que me ficam gravados na cabeça. Sabemos de memória muitos modelos de máquinas, modernas e vintage, mas raras vezes pensamos na mente que as trouxe a este mundo. Nomes como Muros, Testi, Grange, etc., estão gravados, sem que eu queira, na minha mente, devido ao muito que me agradaram as suas ideias e criações. Suponho que ao recordar-me deles, é algo assim como que uma pequena homenagem pessoal aos que muito sabiam de barbear, mas que permaneceram anónimos.

Pois bem, um destes nomes é o de Thomas Wild, a quem devemos a slant quase como a conhecemos hoje em dia. Contemporânea das Gillette Old Type, a patente data de 1916, e para mim é o Bramante do barbear.

E assim nasceu a slant:

(http://up.picr.de/32408325uv.png)

Que vos parece? Pente aberto e sem gap (abertura), como as Old Type… obviamente não acalento esperanças de tropeçar numa destas slants da era anterior à da introdução do conceito de abertura (gap)  por parte da Gillette, mas gostaria muitíssimo de dar-lhe uma tentativa! (certamente, se alguém no fórum tem alguma slant vintage e se quiser desfazer de ela… que me avise, que eu estou interessadíssimo!)

Como muitos, sempre associei a slant à Alemanha e à Merkur (e seus múltiplos “rebrandings”). Sem qualquer base, sempre tomei  como dado adquirido as suas origens germânicas, e fiquei muito surpreendido ao encontrar esta informação. Agora tenho que me habituar à ideia das suas origens britânicas.

(http://up.picr.de/32408326ew.jpg)


A única slant fabricada hoje em dia é a da Merkur, e salvo que encontremos alguma vintage (na sua maioria também Merkur mas remarcadas para outras casas e lojas), é a essa que nos referimos normalmente. Não é a slant inventada por Mr. Wild, devido á questão do “gap”, ou abertura… mas mesmo assim, a ideia é a mesma. De qualquer maneira, houve muitas slants diferentes, alemãs, inglesas e francesas, e até algumas slants ajustáveis como a Walbusch B5 (irmã slant da Progress).  E nem todas as slants são iguais…


(http://up.picr.de/32408350vv.jpg)
Slant tipo “Old Style”... sem abertura

(http://up.picr.de/32408359ex.jpg)
Apollo com abertura constante

(http://up.picr.de/32408364qv.jpg)
Merkur moderna e vintage. Além das diferenças na abertura (gap), podemos ver que uma delas é “direita” e a outra é “esquerda”… para destros e canhotos?!?!

 
(http://up.picr.de/32408367ym.jpg)
.. e inclusivé uma ajustável (¿Não vos lembra nenhuma máquina actual? ;) )


(http://up.picr.de/32408370zs.jpg)
… e muita conversa eu já dei a este homem, que é quem pode voltar a fazê-la, para que a reedite… eu (tal como milhares de aficionados como eu) quero uma!!


Assim, podemos encontrar diversas variações do conceito slant: sem abertura (como as Gillette Old Type), com abertura constante e com abertura variável.

Mas, o que tem a ideia de Mr. Wild e que as outras não têm?...

¿Que faz com que a slant seja tão diferente das outras?

As diferenças entre a slant e um cabeçal normal saltam à vista, mas… O que se esconde por detrás desse cabeçal estranhamente oblíquo?
Pois os benefícios transmitidos por este cabeçal são três:


Corte oblíquo

Do corte oblíquo já falámos. Simplesmente é mais fácil cortar diagonalmente, seja pão, chouriço, pelos ou cabeças.


Geometría helicoidal
 
A geometria da slant é muito particular, e um tanto enganadora se não a observamos com atenção. Não só o gume exposto se dispõe obliquamente à direcção do corte, mas também o próprio cabeçal força a lâmina (e o gume) a uma disposição ligeiramente helicoidal. Vejamos os desenhos do próprio inventor:

(http://up.picr.de/32408373su.png)
Uma ideia elegante!

Esta geometria acaba por se traduzir num cabeçal com abertura variável, (especialmente nas Merkur modernas – em algumas vintage, nem tanto), exposição constante e ângulo de corte variável.

E isto resulta em quê…? Pois se passarmos pelo tópico sobre a agressividade (http://www.foroafeitado.com/foro/maquinillas-tradicionales-cuchillas-29/que-entendemos-agresividad-4190/), vemos que há três factores que podem determinar a maneira como barbeia um determinado cabeçal:


(http://up.picr.de/32408393ha.jpg)

… e resumindo muitíssimo, quanto maior a exposição, o ângulo de corte e a abertura… maior será a agressividade. Cada cabeçal combina estes três factores para proporcionar um barbear único. A essência da slant moderna está na forma como combina estes três factores. Se observarmos atentamente o cabeçal, veremos facilmente o que acontece (vão buscar as vossas slants, que eu estou sem câmara…!)
Ao longo do comprimento do cabeçal, encontramos um jogo entre o ângulo de corte e a abertura. Da esquerda para a direita (na Merkur slant moderna), encontramos um ângulo de corte alto (agressivo) com uma abertura pequena (pouco agressiva)… ou seja, a agressividade do ângulo de corte está atenuada pela benignidade da escassa abertura. Seguindo o gume para a direita, vemos que à medida que o ângulo de corte fica mais pequeno (ou seja, menos agressivo), a abertura vai aumentando (fica mais agressiva).

O resultado é um equilíbrio muito bom entre capacidade de corte e suavidade.
Obviamente, ao barbear, notaremos diferenças entre um extremo e outro do cabeçal. Como sempre diz o JCM, o extremo direito do cabeçal barbeará mais rente mesmo os pelos mais inclinados, e a minha mania pessoal com as slants é sobrepor passagens com 50% da largura do cabeçal, de modo a tirar partido a 100% da geometria variável deste cabeçal.

Sinto muito estar sem máquina fotográfica para ilustrar isto melhor e medir os ângulos reais, mas talvez a própria imagem da patente de Mr. Wild e o diagrama publicado pelo Teiste na sua revisão sirvam para que quem não tenha uma slant possa visualizar melhor.

(http://up.picr.de/32408400yr.jpg)

(http://up.picr.de/32408403fo.png)

Maior rigidez do gume

Apesar de parecer mentira, os chassis das motos têm flexibilidade, os dos automóveis também, inclusivamente há quem prefira pranchas de surf mais ou menos rígidas. No barbear acontece o mesmo, há cabeçais que proporcionam mais ou menos rigidez às lâminas, e isso é algo que se nota durante o barbear. De facto, este é um dos factores que faz com que eu deteste algumas máquinas, e é um dos calcanhares de Aquiles nas ajustáveis, que nas suas posições mais abertas começam a permitir as flexões e micro-vibrações no gume que contribuem para que o barbear não seja tão suave. O facto do cabeçal slant forçar a lâmina com uma curva longitudinal e outra transversal faz com que a rigidez do gume seja muito superior à configuração recta dos cabeçais mais comuns. Isto favorece um barbear mais suave.

Para visualizar isto de outra maneira (um pouco grosseira, mas talvez ajude), podemos imaginar como barbeia uma slant:

(http://i148.photobucket.com/albums/s36/TonySC/Shave/Slant/un-trabajo-agradable-40d20ef7.jpg)

(http://up.picr.de/32408407jg.jpg)
A Budding foi a primeira máquina corta-relvas… patenteada em  1827, quando a única alternativa era uma gadanha (que por certo também tentava aproveitar as virtudes do corte oblíquo graças à sua curvatura)

Com este pobre exemplo, podemos ver que por muito que queiramos, a disposição helicoidal da lâmina na slant faz com que seja impossível igualar o seu corte com o “Gillette Slide”. Simplesmente não é o mesmo.
O resultado: uma boa capacidade de corte com poucas exigências no que toca à técnica, e no que se refere ao ângulo.

Finalmente, ocorrem-me ainda algumas observações acerca destas máquinas:

Um desenho que funciona

É uma máquina bem desenhada, ou melhor dizendo, é um desenho que funciona. Há muitas máquinas com capacidade de corte similar, mas que pelo seu desenho (por favorecer tanto a capacidade de corte) adquirem outros inconvenientes. Reunir uma grande capacidade de corte com a suavidade e benignidade suficientes no mesmo cabeçal não é fácil nem frequente. Isto é algo que a slant faz, e muito bem… Obrigado, Mr. Wild!

De qualquer maneira, creio que devo enfatizar este comentário: A slant é a máquina definitiva?

Resposta curta: Não.
Resposta longa: Pois suponho que para alguns, sim e para outros não, mas em ambos os casos, creio que não depende da máquina. As slant alcançam um excelente equilíbrio entre capacidade de corte e suavidade, mas muitas outras máquinas fazem o mesmo e com facilidade. Agora bom, as slant barbeiam como muitas outras máquinas… poucas máquinas eu experimentei (vou em cerca de 60) que não possam proporcionar-me um apurado como o da slant, mas umas requerem muito mais atenção à técnica, isso sim.


A slant apura mais que as outras máquinas?

Pessoalmente tenho que dizer que não. Creio que o segredo da slant não está no facto de apurar mais que as outras, mas sim no facto de fazer com que atingir esse apurado seja mais fácil.

 
O lobo não é tão mau quanto o pintam

Não creio que seja uma máquina apenas para peritos, apesar do que se repete ad aeternum pela rede. De facto, e como explica o JCM na sua review, parece-me até uma boa escolha para o principiante. Devido ao peculiar desenho do seu cabeçal, não há erro nem complicação ao encontrar o ângulo correcto, já que na realidade estamos perante uma gama de ângulos.

Dito isto, a única recomendação que o iniciante deve observar é a de não exercer pressão. Feito isto, obter um BBS com a slant é tarefa de crianças… muito mais fácil do que com máquinas mais benignas. Se quisermos obter um BBS com máquinas muito benignas, a nossa técnica terá que ser proporcionalmente melhor.


Quanto mais gume… melhor

Aproveitando-nos das virtudes do desenho deste tipo de cabeçais, tiraremos o melhor partido a estas máquinas se usarmos as estas máquinas com as lâminas mais mais afiadas que encontremos. Feathers, Bolzanos e similares são a dádiva dos deuses para o “barbear helicoidal”.


Uma máquina para todos

Normalmente, a slant é recomendada para quem tem a barba dura ea pele sensível.
Entendo o factor “peles sensíveis” mas não o das “barbas duras”. Se corta bem as barbas duras, o que não fará com as barbas médias ou brandas? Pois, exactamente o mesmo, mas com mais facilidade. Usar a slant só em casos de barbas duras significa que as barbas médias e brandas percam a oportunidade de experimentar as bondades deste cabeçal. Na minha opinião, é uma máquina para todos.


Porque é que a slant agrada tanto?

Pois simplesmente porque pelo seu desenho, este cabeçal barbeia muito bem, e muito facilmente. Sinceramente, acredito que é uma máquina com uma grande capacidade de corte, e que ao mesmo tempo, é muito tolerante com a técnica. Desde a Gillette Tech mais benigna até a uma Futur com suas fauces abertas ao máximo, com quase qualquer máquina se pode conseguir um BBS se a técnica for suficientemente boa e adaptada à máquina. A slant apenas torna isto mais fácil… Pode-se pedir mais que isto?


"Put a twist in your shave" (dá uma volta ao teu barbear)

E depois de muito tempo com a slant, não posso fazer mais do que recomendar que ponhas uma lâmina retorcida no teu barbear. Não é que barbeie melhor que as outras, ou que apure mais que as outras. Com uma boa técnica, podes obter um BBS com muitas máquinas que são erradamente chamadas de “pouco agressivas.”. Mas o Sr. Wild colocou grandes escanhoados na mão daquele que se anime com uma slant.

Para muitos a slant é a máquina definitiva, para outros é apenas uma dessas que não acabam de os convencer, e para outros é apenas uma máquina mais. O que me atreveria a dizer é que é uma das máquinas que vale a pena experimentar. Ainda por cima, é fácil de comprar, está à distância de um click de rato, tem um preço razoável, e além disso, se não te agradar facilmente a venderás, e alguém no fórum vai-te estar agradecido por isso.

A mim, é um cabeçal que me agrada, se bem que pensando bem… existem poucas máquinas que não me agradem. Cada uma com sua história, as suas peculiaridades, as suas virtudes e defeitos, mas todas têm, para mim, uma atracção especial… esta, no entanto, defraudará poucos.

Saludos,

Tony

EDIT: links dos esquemas das patentes restaurados.
Title: Re:O conceito slant
Post by: Caramelo on February 22, 2013, 11:59:15 pm
  Parabéns Emanuel, excelente trabalho. :)
Title: Re:O conceito slant
Post by: JLTG on February 23, 2013, 01:26:55 am
O artigo em inglês é bom, mas em português ficou ótimo!
Title: Re:O conceito slant
Post by: GADREL on February 23, 2013, 06:55:07 am
Excelente artigo, parabéns!
Title: Re:Re: O conceito slant
Post by: Ovomaltine on February 23, 2013, 09:23:19 am
Que excelente artigo!

Enviado de meu Nexus S usando o Tapatalk 2
Title: Re:Re: O conceito slant
Post by: ClaudioBP on February 23, 2013, 10:01:46 am
Excelente mesmo! Parabéns!

Enviado de meu ZTE V875 usando o Tapatalk 2
Title: Re:O conceito slant
Post by: Marques on February 23, 2013, 11:37:05 am
Parabéns Confrade oversaturn!
Ja era grande a vontade de ter uma Slant, depois dessa aula a minha vontade aumentou exponencialmente!
Title: Re:O conceito slant
Post by: FML on February 23, 2013, 05:38:37 pm
Oversaturn, mais uma vez, um excelente trabalho que a comunidade agradece.
Title: Re:O conceito slant
Post by: Mscardoso on February 24, 2013, 06:30:04 pm
Muito bom, muito obrigado por partilhar !
Title: Re:O conceito slant
Post by: Dr. Leckter on February 26, 2013, 09:58:24 pm
Olá Emanuel,

Uma aula o artigo! Muito obrigado...
Title: Re:O conceito slant
Post by: jsalvado on March 29, 2013, 03:49:39 pm
Muito bom.
Title: Re:O conceito slant
Post by: Red on March 31, 2013, 07:47:50 pm
Excelente, mesmo! Isso é que é ciência! Muito bom artigo, Oversaturn.
Title: Re:O conceito slant
Post by: Pitolas on April 02, 2013, 03:39:38 pm
Excelente artigo, já vou olhar para a minha com outros olhos :D :D
Title: Re: O conceito slant
Post by: TheMonk on July 01, 2013, 10:47:41 pm
Para quem nem sabia exactamente o que era uma Slant, foi um excelente esclarecimento!  ;)

Cumps.
Title: Re: O conceito slant
Post by: oversaturn on February 18, 2014, 03:50:25 pm
1º post editado: reparados os dead links para os esquemas das patentes.
O artigo está novamente completo. :)
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on February 18, 2014, 03:56:04 pm
Excelente trabalho, parabéns.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Pitolas on February 18, 2014, 04:08:58 pm
Excelente trabalho, parabéns.
+1
Title: Re: O conceito slant
Post by: classic-shaver on February 18, 2014, 04:12:01 pm
Belo artigo, sem dúvida!

Parabéns pelo trabalho, Emanuel, o que seria do BC sem ti? ;D

Excelente artigo, já vou olhar para a minha com outros olhos :D :D

+1

Atenção ao spam! :P
Title: Re: O conceito slant
Post by: Pitolas on February 18, 2014, 04:47:04 pm
Belo artigo, sem dúvida!

Parabéns pelo trabalho, Emanuel, o que seria do BC sem ti? ;D

Atenção ao spam! :P
Spam? :o. Sendo assim, apresento ás minhas desculpas à moderação por ter respondido 2x ao mesmo tópico ;)
Title: Re: O conceito slant
Post by: paulosantoro on May 24, 2014, 11:19:28 pm
Que belo artigo! Até agora eu não havia pensado em adquirir uma Slant, mas agora, compreendendo melhor, começo a pensar.
Title: Re: O conceito slant
Post by: macintoshbr on July 02, 2014, 01:24:59 pm
Eu tenho uma Slant da iKon, que é muito bem feita por sinal, mas não consigo ter a mesma qualidade no barbear que tenho com as minhas outras máquinas. Acabei comprando porque acho o conceito interessante, mas na minha opinião não é algo necessário.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Gago on July 02, 2014, 01:48:32 pm
Eu tenho uma Slant da iKon, que é muito bem feita por sinal, mas não consigo ter a mesma qualidade no barbear que tenho com as minhas outras máquinas. Acabei comprando porque acho o conceito interessante, mas na minha opinião não é algo necessário.

Eu também não me dou tão bem com slants.Mas para existirem até agora, há de funcionar melhor com uns do que com outros.
Title: Re: O conceito slant
Post by: oversaturn on July 02, 2014, 01:56:03 pm
Eu tenho uma Slant da iKon, que é muito bem feita por sinal, mas não consigo ter a mesma qualidade no barbear que tenho com as minhas outras máquinas. Acabei comprando porque acho o conceito interessante, mas na minha opinião não é algo necessário.

Eu tenho várias slants, e dou-me bem com a slant da Merkur e com a "Merkel" de baquelite.
Quanto à iKon, já a tive, mas acabei por vendê-la muito recentemente. Basicamente a Merkur barbeia melhor (pelo menos no meu caso) e custa praí 1/5 do valor da iKon slant.

Moral da história: nem todas as slants são iguais :D
Title: Re: O conceito slant
Post by: Caramelo on July 02, 2014, 02:36:31 pm
...e o mais caro nem sempre é o melhor. :P
Title: Re: O conceito slant
Post by: Cardoso on July 02, 2014, 02:36:35 pm
Seria bom se colocasse aquele post do FML sobre os diferentes tipos de slants.
Title: Re: O conceito slant
Post by: numerounoo on November 14, 2014, 10:04:18 am
thank you. informative post !
Title: Re: O conceito slant
Post by: Zeri on November 14, 2014, 11:23:36 am
Excelente trabalho de conversão do artigo.

Quanto ao conceito de máquina....hummmmm.... ???.... Acho que é um caso a pensar....

Assim já poderei ter opinião sobre o mesmo.

Abraços
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on November 22, 2014, 12:19:57 pm
Realmente é um conceito muito interessante ... agora que tive a oportunidade de ter uma ... a uma diferença mesmo!
Title: Re: O conceito slant
Post by: JLTG on November 22, 2014, 12:35:38 pm
Qual slant compraste, Stützel? Qual a tua opinião?
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on November 22, 2014, 12:49:51 pm
Qual slant compraste, Stützel? Qual a tua opinião?

Merkur 37c ... Ótima maquina ... muito bem construída ... com harmonia total com as laminas ... proporciona um corte perfeito ... e o que mais gostei ... me permite fazer um bom acabamento/desenho ... mas é traiçoeira ... se der mole ... corte na certa!!
Title: Re: O conceito slant
Post by: JLTG on November 22, 2014, 01:14:58 pm
Eu tenho e gosto bastante! Bom proveito!
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on November 22, 2014, 01:20:16 pm
Eu tenho e gosto bastante! Bom proveito!

Valeu!! JL!!  :)
Title: Re: O conceito slant
Post by: JLTG on November 22, 2014, 01:40:23 pm
Dúvida: sem problemas de alinhamento das lâminas? A minha tem, mas já peguei o jeito de alinhar.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on November 22, 2014, 01:46:24 pm
Dúvida: sem problemas de alinhamento das lâminas? A minha tem, mas já peguei o jeito de alinhar.

Exato ... o alinhamento não e perfeito ... foi a primeira coisa de notei ... mas não chega a ser um problema ... seguro a lamina nas extremidades ... alinho ... e faço o aperto. 
Title: Re: O conceito slant
Post by: JLTG on November 22, 2014, 01:55:52 pm
Dica da própria empresa: montar de cabeça para baixo, ou seja, colocar a tampa virada com a rosca para cima e apoiada numa superfície, colocar a lâmina, o cabo e apertar. Fica muito bem.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on November 22, 2014, 02:07:46 pm
Dica da própria empresa: montar de cabeça para baixo, ou seja, colocar a tampa virada com a rosca para cima e apoiada numa superfície, colocar a lâmina, o cabo e apertar. Fica muito bem.

Opá!! Obrigado pela dica ... vou fazer!!
Title: Re: O conceito slant
Post by: andrebracco on March 24, 2015, 11:38:13 am
Obrigado confrade!
Maravilhoso artigo! Ceifou minhas dúvidas como uma lâmina oblíqua e helicoidal!
Fica só uma dúvida, como é uma slant para fazer contornos?
Title: Re: O conceito slant
Post by: oversaturn on March 24, 2015, 02:16:55 pm
A opinião de cada um poderá variar, mas... para mim é como qualquer outra DE, o único problema será se o cabeçal em questão for muito volumoso ou não, mas isso dependerá do modelo específico.

E obrigado pelas tuas palavras! :)
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on March 24, 2015, 03:25:35 pm
Mantendo ela prumo ... eu sinto uma ligeira diferença no corte ... mas não seu porque ... tenho uma tendencia a nivelar o cabeçal da Slant no rosto ... e não consigo deixar ela no prumo ... mas não altera o resultado do escanhoado ... outra coisa e o acabamento com ela ... e não tomar cuidado ... ficará a vida toda acertando ate não restar pelos ... pois este cabeçal engana no angulo reto ... no meu caso os pés do cabelo.
Title: Re: O conceito slant
Post by: andrebracco on March 24, 2015, 03:29:19 pm
Mantendo ela prumo ... eu sinto uma ligeira diferença no corte ... mas não seu porque ... tenho uma tendencia a nivelar o cabeçal da Slant no rosto ... e não consigo deixar ela no prumo ... mas não altera o resultado do escanhoado ... outra coisa e o acabamento com ela ... e não tomar cuidado ... ficará a vida toda acertando ate não restar pelos ... pois este cabeçal engana no angulo reto ... no meu caso os pés do cabelo.
Essa era a minha dúvida. Fica uma certa dificuldade para acertar o ângulo.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on March 24, 2015, 04:36:22 pm
Essa era a minha dúvida. Fica uma certa dificuldade para acertar o ângulo.

Não há dificuldade alguma ... e sim uma atenção ... minha citação do angulo foi por comparação ... o escanhoado flui naturalmente ... com o cabeçal normal ou Slant ... com ressalva que tenho a Merkur 37C (Slant)... que é de media para alta agressividade ... a maior diferença está ai.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Caramelo on March 24, 2015, 10:58:50 pm
Não há dificuldade alguma ... e sim uma atenção ... minha citação do angulo foi por comparação ... o escanhoado flui naturalmente ... com o cabeçal normal ou Slant ... com ressalva que tenho a Merkur 37C (Slant)... que é de media para alta agressividade ... a maior diferença está ai.

 Qual é que achas mais agressiva, a Slant ou a Fatip?
Title: Re: O conceito slant
Post by: Nuno Sá on March 24, 2015, 11:02:03 pm
 Não tenho a Fatip, mas posso dizer que a 37c não se chega perto da agressividade da Muhle R41 Shark - 2011.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on March 24, 2015, 11:08:17 pm
Qual é que achas mais agressiva, a Slant ou a Fatip?

A "Fatip" (pente aberto) é ligeiramente mais agressiva que á Merkur 37c Slant (pente fechado)... está diferença se dá a arquitetura do cabeçal ... e não somente da exposição da lamina.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Caramelo on March 24, 2015, 11:10:28 pm
A "Fatip" (pente aberto) é ligeiramente mais agressiva que á Merkur 37c Slant (pente fechado)... está diferença se dá a arquitetura do cabeçal ... e não somente da exposição da lamina.

 Eu tenho a Fatip, mas ando a pensar na 39C...
Title: Re: O conceito slant
Post by: Stützel on March 24, 2015, 11:35:03 pm
Eu tenho a Fatip, mas ando a pensar na 39C...

Opá somos dois!! Era está que estava em meus planos ... principalmente pelo tamanho, que já foi comparada a um martelo ... mas apareceu a oportunidade nos classificados da 37c, e aproveitei ...  a 39c ainda está nos meus planos ... depois de uma ajustável e claro.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Nuno Sá on March 24, 2015, 11:55:00 pm
 Se vocês gostam de maquinas eficazes experimente a Muhle R41.
Title: Re: O conceito slant
Post by: guilopes on March 26, 2015, 07:28:24 pm
37c + Feather, melhor barbear que já tive nestes poucos 6 meses de experiência  8)
Title: Re: O conceito slant
Post by: Ricardo Freitas on March 30, 2016, 01:30:58 pm
No universo "slant" há alguma alternativa mais barata às costumeiras 39C e 37C da merkur?
As ATT e Ikon são completamente fora do que é, para mim, razoável dar por uma máquina. Por muito espectaculares que sejam.

Além disso, já vi uma menções aqui pelo fórum a um ou outro modelo mais exótico, mas isso são raridades que por vezes se encontram. Gostava de experimentar uma slant, mas não me apetecia estar a gastar muitos €€€s só para satisfazer a curiosidade.

Desde já, obrigado pelos inputs!
Title: Re: O conceito slant
Post by: oversaturn on March 30, 2016, 04:33:49 pm
No mundo das slants, e salvo algum achado ocasional em feiras de antiguidades, ebays e afins, a alternativa mais acessível (e, diria eu, a mais razoável, até) é mesmo a Merkur.

Já tive uma slant da iKon e acabei por vendê-la. Foi uma das primeiras versões, em aço, sem revestimento. É que, apesar de custar 4 ou 5 vezes mais que a Merkur, não barbeava melhor. E trazia umas particularidades (alinhamento da lâmina e tendência a manchar de ferrugem quando deixada em contacto com algumas lâminas em ambiente húmido) que me chateavam, de maneiras que deixei-a seguir o seu caminho.
Title: Re: O conceito slant
Post by: NoName on March 30, 2016, 05:53:26 pm
No mundo das slants, e salvo algum achado ocasional em feiras de antiguidades, ebays e afins, a alternativa mais acessível (e, diria eu, a mais razoável, até) é mesmo a Merkur.

Já tive uma slant da iKon e acabei por vendê-la. Foi uma das primeiras versões, em aço, sem revestimento. É que, apesar de custar 4 ou 5 vezes mais que a Merkur, não barbeava melhor. E trazia umas particularidades (alinhamento da lâmina e tendência a manchar de ferrugem quando deixada em contacto com algumas lâminas em ambiente húmido) que me chateavam, de maneiras que deixei-a seguir o seu caminho.
Tenho a Merkur Plasticosa que gosto
muito . Quero uma Fasan oc e uma de
bakelite que se chama qualquer coisa
"Ilha de França" .
Mas querer não é poder e de momento
tenho outras prioridades ... hehehe.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Bninho on March 30, 2016, 08:27:37 pm
Tenho a Merkur Plasticosa que gosto
muito . Quero uma Fasan oc e uma de
bakelite que se chama qualquer coisa
"Ilha de França" .
Mas querer não é poder e de momento
tenho outras prioridades ... hehehe.
Já vi essa uma vez em Espinho à venda por 15euros. Fui tomar um café, pensei e não comprei.  Estava como nova. É uma Ille de France. Tem a imagem de um navio.

Quem tem uma é o PauloF, se não estou em erro.
Title: Re: O conceito slant
Post by: mc on March 30, 2016, 08:32:40 pm
Tb gostava de ter uma slant, e acabarei por ter, só não sei qdo.
Bninho, em Espinho onde? Na feira dos peludos?
Title: Re: O conceito slant
Post by: NoName on March 30, 2016, 08:33:10 pm


Já vi essa uma vez em Espinho à venda por 15euros. Fui tomar um café, pensei e não comprei.  Estava como nova. É uma Ille de France. Tem a imagem de um navio.

Quem tem uma é o PauloF, se não estou em erro.

Sim , o Paulo teem uma .
A máquina tem um declive grande , deve
de barbear bem.
Title: Re: O conceito slant
Post by: mc on March 30, 2016, 08:35:20 pm
Gostava de ter uma das antigas que tem um ângulo de cerca de 11° e não como as recentes de 3°.
Title: Re: O conceito slant
Post by: NoName on March 30, 2016, 08:35:30 pm
Tb gostava de ter uma slant, e acabarei por ter, só não sei qdo.
Bninho, em Espinho onde? Na feira dos peludos?
Como te estás a dar , com a Fatip ?
... e as navalhas?
Title: O conceito slant
Post by: mc on March 30, 2016, 08:38:37 pm
Usei a Fatip uma semana e já está aprovada.
Daqui a umas semanas vou usar com a Wilkinson Premium (já só tenho uma caixa) e darei o veredicto final.
Só usei navalha por duas vezes e estou a dar-me bem.
Este sábado se tiver tempo vou usar pela primeira vez a Fili.
Domingo não faço a barba, é dia de descanso ou se quiserem do Senhor!
Title: Re: O conceito slant
Post by: NoName on March 30, 2016, 08:49:30 pm


Usei a Fatip uma semana e já está aprovada.
Daqui a umas semanas vou usar com a Wilkinson Premium (já só tenho uma caixa) e darei o veredicto final.
Só usei navalha por duas vezes e estou a dar-me bem.
Este sábado se tiver tempo vou usar pela primeira vez a Fili.

A Fatip funciona bém , com lâminas afiadas ... tipo Feather ou Wilkinson
Premium.
Se poderes acabar com , somente duas
passagens , melhor...
Fazer muitas passagens , ou demasiados retoques pode acabar por
subrecarregar a péle.
Mas é uma máquina , muito eficiênte.
Title: O conceito slant
Post by: mc on March 30, 2016, 08:55:05 pm
Eu só faço duas passagens e uns acertos.
Só se fazem duas passagens para fazer a barba, o resto é treta.
Não há nenhum profissional barbeiro que faça mais de duas passagens.
Inclusive os velhinhos, os das navalhas e strop, com que tenho falado, alguns na casa dos 70/80/90 anos, dizem que só se deve fazer uma passagem quase sempre contra o pelo (e uns retoques quando muito) que é onde se vê o engenho e a arte.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Bninho on March 30, 2016, 09:55:06 pm
Gostava de ter uma das antigas que tem um ângulo de cerca de 11° e não como as recentes de 3°.
Quando vir uma, não me vou esquecer dr ti. :)
Title: Re: O conceito slant
Post by: NoName on March 30, 2016, 10:24:39 pm


Eu só faço duas passagens e uns acertos.
Só se fazem duas passagens para fazer a barba, o resto é treta.
Não há nenhum profissional barbeiro que faça mais de duas passagens.
Inclusive os velhinhos, os das navalhas e strop, com que tenho falado, alguns na casa dos 70/80/90 anos, dizem que só se deve fazer uma passagem quase sempre contra o pelo (e uns retoques quando muito) que é onde se vê o engenho e a arte.

Eu isso já me apercebi ... neste caso menos é mais.
Eu tenho sorte , porque na cara nem preciso de , contra o pêlo.
Já no pescoço , a história é outra ...
Title: Re: O conceito slant
Post by: mc on March 30, 2016, 10:29:41 pm
Obrigado Bninho.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Latherão on March 31, 2016, 11:09:58 am
Eu só faço duas passagens e uns acertos.
Só se fazem duas passagens para fazer a barba, o resto é treta.
Queres dizer no teu caso, certamente... Se no teu caso consegues obter um apurado razoável com 1 ou 2 passagens, sem agredir a pele, tanto melhor! Mas o princípio das passagens extra é o de ir reduzindo o pêlo, em vez de o tentar retirar todo de uma vez. Isso será sempre menos agressivo para a pele do que menos passagens que retirem mais pêlo em cada passagem.

Falando no meu caso (que é o único de que tenho conhecimento prático :) ), faço quase sempre 3 passagens. Quando tenho mais pressa faço apenas 2 (a favor e contra) e noto logo que o apurado fica pior (nunca faço micro-passagens para compensar).

Quote
Não há nenhum profissional barbeiro que faça mais de duas passagens.
Inclusive os velhinhos, os das navalhas e strop, com que tenho falado, alguns na casa dos 70/80/90 anos, dizem que só se deve fazer uma passagem quase sempre contra o pelo (e uns retoques quando muito) que é onde se vê o engenho e a arte.
Isso tem a ver apenas com o aspecto económico da profissão. Se eu tivesse 10 clientes à espera para serem atendidos também procurava despachá-los com meia passagem se fosse possível (antes que decidam ir a outro barbeiro mais rápido que faça um quarto de passagem :) ).
Esses retoques que referes é que vão agredir a pele...
Title: Re: O conceito slant
Post by: Martius on March 31, 2016, 11:21:46 am
Para quem estiver a ponderar uma Slant a marca Fine Accoutrements e respectiva loja vai lançar uma versão em latão (ou lá o que é) da Merkel Bakelite. :-)
O preço é de 30$, o que nem é mau. Pena é os portes custarem tanto como a máquina.

Deixo uma foto:
(https://cdn3.volusion.com/vchej.pvrfy/v/vspfiles/photos/SLSR-2T.jpg?1456991698)

(https://cdn3.volusion.com/vchej.pvrfy/v/vspfiles/photos/SLSR-3.jpg?1456991698)
Title: Re: O conceito slant
Post by: mc on March 31, 2016, 11:27:50 am
Obrigado.
Mas deve estar a sair um clone chhinês porque está máquina vai ser produzida na China, comforme "highlits" do site:


[li$i]Three Piece Razor (100% Interchangeable with vintage "Italian Barber" Bakelite Slants (http://sharpologist.com/2013/02/bakelite-slant.html))[/li]
[li]ABS Construction with UV Hardened Metallic Coating.[/li]
[li]Weight: 15 grams[/li]
[li]Height: 82 millimeters[/li]
[li]Metal m5x.8 Screw and Threaded Insert (will fit most handles)[/li]
[li]Made in China[/li][/list]
Title: Re: O conceito slant
Post by: Martius on March 31, 2016, 11:33:01 am
Obrigado.
Mas deve estar a sair um clone chhinês porque está máquina vai ser produzida na China, comforme "highlits" do site:


    [/li][li]ABS Construction with UV Hardened Metallic Coating.[/li]
  • Weight: 15 grams
  • Height: 82 millimeters
  • Metal m5x.8 Screw and Threaded Insert (will fit most handles)
  • Made in China

Por esse preço tinha de ser algo desse género. Alias, os próprios acabamentos parecem-me um pouco duvidosos. Em todo o caso para a malta dos USA pelo preço vai vender bem certamente.
Title: Re: O conceito slant
Post by: NoName on March 31, 2016, 11:35:50 am
Já a tinha visto , mas o preço
com os portes é muito elevado.
Title: Re: O conceito slant
Post by: oversaturn on March 31, 2016, 01:55:34 pm
É isso. O preço nem é mau, mas com portes não vale a pena, fica mais cara que a Merkur.
Essa é a cópia que fizeram da máquina que ficou carinhosamente conhecida por "Merkel (http://www.barbearclassico.com/index.php?topic=2878.0)", especialmente nos fóruns ibéricos :D
Felizmente não preciso da cópia. :D O que não quer dizer que não gostasse de a ter/experimentar, mas com portes de envio, o negócio fica pouco atractivo.

As "Merkel" eram bem mais baratas. Autênticas máquinas da crise. Pelo preço dessas cópias dava para comprar umas 4 ou 5 :P
Title: Re: O conceito slant
Post by: billmota on March 31, 2016, 02:53:46 pm
Obrigado.
Mas deve estar a sair um clone chhinês porque está máquina vai ser produzida na China, comforme "highlits" do site:
Aguardo o clone chinês.
Gosto dos clones chineses!
Title: Re: O conceito slant
Post by: oversaturn on March 31, 2016, 03:50:53 pm
Aguardo o clone chinês.
Gosto dos clones chineses!
...neste caso, será já o clone de um clone, ou a cópia da cópia... :D

Quanto aos clones chineses, para mim são como os pimientos de padron, unos pican y otros non... :D
Title: Re: O conceito slant
Post by: mc on March 31, 2016, 03:53:35 pm
Quanto aos clones chineses, para mim são como os pimientos de padron, unos pican y otros non... :D

Os que picam são os espanhós.
Os que não picam são os italianos.
Title: Re: O conceito slant
Post by: Ricardo Freitas on March 31, 2016, 07:45:34 pm
Nas fotografias é complicado de verificar. Estas máquinas são simétricas? Existe um plano de simetria entre os dois lados da lâmina?
Title: Re: O conceito slant
Post by: rveladas on April 02, 2016, 12:09:47 am
...neste caso, será já o clone de um clone, ou a cópia da cópia... :D

Quanto aos clones chineses, para mim são como os pimientos de padron, unos pican y otros non... :D
Nem os pimentos de padron são como eram.. ja nem picam :(
Title: Re: O conceito slant
Post by: obiwanhug on July 06, 2017, 12:07:27 am
Ora nada como ressuscitar um post antigo! A Maggard lançou desde outubro ou assim um cabeçal slant para os seus cabos. Ora como esses cabos são compatíveis com a maior parte dos cabeçais da Merkur, Muhle, Edwin Jagger e por aí a fora... está aqui uma boa hipótese de experimentar uma slant. Estão a pedir 19,95$...
Title: Re: O conceito slant
Post by: oversaturn on April 15, 2018, 07:53:39 pm
Este tópico estava bastante "desprovido" de imagens desde o apagão do photobucket.

Bom, consegui recuperar as imagens (ou quaaaase todas) :)
Title: Re: O conceito slant
Post by: Migas72 on April 15, 2019, 07:17:28 pm
Mais um artigo do TonySC, e um dos melhores que já tive oportunidade de ler na net… desta vez acerca dessas máquinas retorcidas, isso mesmo, das slants… aqui deixo a minha tradução, espero que gostem. :)

O conceito slant
por TonySC

Tradução de oversaturn, artigos originais aqui  (http://foroafeitado.com/foro/tutoriales-maquinillas-tradicionales-afeitar-11/el-concepto-la-maquinilla-slant-5204/)e aqui (http://shavenook.com/thread-the-slant-concept).


O prometido é devido (http://www.foroafeitado.com/foro/94092-post11.html), de maneiras que como hoje o mar hoje está desastroso, em vez de surf toca a saldar a dívida desta manhã... espero que sirva para conhecermos um pouquito melhor esta máquina com um cabeçal “esquisito”.

O que se segue é tudo o que consegui aprender acerca das slant, e as minhas impressões, numa intenção de descrever como é realmente esta máquina… a slant tal como eu a entendo. Não é uma revisão propriamente dita, já que me vou centrar mais no “conceito slant” que na máquina em si… os detalhes específicos da Merkur slant já são mais que conhecidos… mas isto pode complementar as revisões já feitas. 

Desde antes do nascimento das máquinas de duplo fio que se sabe que um corte em diagonal é mais eficaz que um corte recto, e isto é válido quer se trate de cortar pão, quer se trate de cortar cabeças. A diagonal é justamente aquilo que deu à guilhotina a sua grande eficácia. As primeiras guilhotinas eram de corte recto, e necessitavam de um grande peso para realizar bem o seu trabalho. O gume diagonal da guilhotina francesa resolveu as “incomodidades” que as de gume recto davam aos réus com o pescoço mais robusto.

(http://up.picr.de/32408217ye.jpg)  (http://up.picr.de/32408218so.gif)
A Halifax Gibbet foi a primeira guilhotina… das de corte recto. A sua eficácia foi superada pela guilhotina de corte diagonal.

Voltando ao assunto mais agradável do escanhoado, já com as navalhas se procurava tirar partido do corte diagonal com gumes rectos, e se ensinava os barbeiros a utilizar a diagonal… com passadas oblíquas.

(http://up.picr.de/32408219iy.jpg)

A vertigem de inventos … e as variações do corte oblíquo


(http://up.picr.de/32408220yu.jpg)

Nos finais do século XIX, Kampfe deu o primeiro passo na direcção das safety-razors com o seu híbrido máquina/navalha. Com a popularidade crescente das safety-razors de duplo fio, no princípio do século passado, houve uma revolução no barbear, e também de ideias. A imaginação desta gente de mente inquieta levou-os a redesenhar mil e uma vezes as máquinas para tirar partido do corte oblíquo…

(http://up.picr.de/32408221nx.png)
Recta de um lado e curva do outro... A ideia de diferentes características de cada lado soa-vos familiar?

(http://up.picr.de/32408222dh.png)

Que máquina vos faz lembrar este cabeçal “Flip-Top”? Pois já em 1913 havia Flip-Tops! !!


(http://up.picr.de/32408246ts.png)

(http://up.picr.de/32408247sf.png)

Ora aqui está uma ideia curiosa – a slant de cilindro!


Quanto menos, estas máquinas são curiosas. Cabeçais redondos (normalmente para o mercado feminino), quadrados, triangulares, todos traziam as suas vantagens, mas todos sucumbiram perante um pequeno problema… a peça essencial de qualquer máquina. Estas estranhas máquinas partilhavam um mesmo objectivo, integrar o corte oblíquo no cabeçal, mas todas usavam lâminas exclusivas, e as lâminas baratas, boas e fáceis de encontrar eram as Gillette. O êxito retumbante das lâminas Gillette acabou com elas. Como seria de esperar, houve quem tentasse integrar o corte oblíquo num cabeçal adequado para estas lâminas, e assim surgiram toda uma miríade de máquinas assimétricas que tentavam facilitar o corte oblíquo:


(http://up.picr.de/32408248qw.jpg)

(http://up.picr.de/32408249cg.jpg)

(http://up.picr.de/32408314ua.png)
Cabeçal recto com "offset" diagonal da lâmina


E enquanto uns esmifravam a cabeça inventando, a Gillette simplesmente sugeria ao consumidor o uso do “Gillette slide”, que o Mantic59 voltou a popularizar no seu vídeo de “Técnicas avançadas” – e que não é mais que a passada oblíqua, ou em diagonal, já usada com as velhas navalhas de barbear.

http://www.youtube.com/watch?v=TQco5PWc2JU

(http://up.picr.de/32408319yc.jpg)
Instruções da Gillette... a passagem diagonal acabou por ser popularizada com o nome de  "Gillette slide"


O Nascimento das slant

(http://up.picr.de/32408324yw.jpg)
A maravilhosa dupla hélice de Bramante

Bem seja utilizando o “Gillette Slide” ou usando algum dos artefactos que vimos, apenas um homem teve uma brilhante ideia, um desenho que deu um passo em frente para verdadeiramente conseguir o que todos procuravam… facilitar um escanhado eficaz e conseguir um apurado fácil.

No que respeita aos desenhadores e inventores de máquinas há certos nomes que me ficam gravados na cabeça. Sabemos de memória muitos modelos de máquinas, modernas e vintage, mas raras vezes pensamos na mente que as trouxe a este mundo. Nomes como Muros, Testi, Grange, etc., estão gravados, sem que eu queira, na minha mente, devido ao muito que me agradaram as suas ideias e criações. Suponho que ao recordar-me deles, é algo assim como que uma pequena homenagem pessoal aos que muito sabiam de barbear, mas que permaneceram anónimos.

Pois bem, um destes nomes é o de Thomas Wild, a quem devemos a slant quase como a conhecemos hoje em dia. Contemporânea das Gillette Old Type, a patente data de 1916, e para mim é o Bramante do barbear.

E assim nasceu a slant:

(http://up.picr.de/32408325uv.png)

Que vos parece? Pente aberto e sem gap (abertura), como as Old Type… obviamente não acalento esperanças de tropeçar numa destas slants da era anterior à da introdução do conceito de abertura (gap)  por parte da Gillette, mas gostaria muitíssimo de dar-lhe uma tentativa! (certamente, se alguém no fórum tem alguma slant vintage e se quiser desfazer de ela… que me avise, que eu estou interessadíssimo!)

Como muitos, sempre associei a slant à Alemanha e à Merkur (e seus múltiplos “rebrandings”). Sem qualquer base, sempre tomei  como dado adquirido as suas origens germânicas, e fiquei muito surpreendido ao encontrar esta informação. Agora tenho que me habituar à ideia das suas origens britânicas.

(http://up.picr.de/32408326ew.jpg)


A única slant fabricada hoje em dia é a da Merkur, e salvo que encontremos alguma vintage (na sua maioria também Merkur mas remarcadas para outras casas e lojas), é a essa que nos referimos normalmente. Não é a slant inventada por Mr. Wild, devido á questão do “gap”, ou abertura… mas mesmo assim, a ideia é a mesma. De qualquer maneira, houve muitas slants diferentes, alemãs, inglesas e francesas, e até algumas slants ajustáveis como a Walbusch B5 (irmã slant da Progress).  E nem todas as slants são iguais…


(http://up.picr.de/32408350vv.jpg)
Slant tipo “Old Style”... sem abertura

(http://up.picr.de/32408359ex.jpg)
Apollo com abertura constante

(http://up.picr.de/32408364qv.jpg)
Merkur moderna e vintage. Além das diferenças na abertura (gap), podemos ver que uma delas é “direita” e a outra é “esquerda”… para destros e canhotos?!?!

 
(http://up.picr.de/32408367ym.jpg)
.. e inclusivé uma ajustável (¿Não vos lembra nenhuma máquina actual? ;) )


(http://up.picr.de/32408370zs.jpg)
… e muita conversa eu já dei a este homem, que é quem pode voltar a fazê-la, para que a reedite… eu (tal como milhares de aficionados como eu) quero uma!!


Assim, podemos encontrar diversas variações do conceito slant: sem abertura (como as Gillette Old Type), com abertura constante e com abertura variável.

Mas, o que tem a ideia de Mr. Wild e que as outras não têm?...

¿Que faz com que a slant seja tão diferente das outras?

As diferenças entre a slant e um cabeçal normal saltam à vista, mas… O que se esconde por detrás desse cabeçal estranhamente oblíquo?
Pois os benefícios transmitidos por este cabeçal são três:


Corte oblíquo

Do corte oblíquo já falámos. Simplesmente é mais fácil cortar diagonalmente, seja pão, chouriço, pelos ou cabeças.


Geometría helicoidal
 
A geometria da slant é muito particular, e um tanto enganadora se não a observamos com atenção. Não só o gume exposto se dispõe obliquamente à direcção do corte, mas também o próprio cabeçal força a lâmina (e o gume) a uma disposição ligeiramente helicoidal. Vejamos os desenhos do próprio inventor:

(http://up.picr.de/32408373su.png)
Uma ideia elegante!

Esta geometria acaba por se traduzir num cabeçal com abertura variável, (especialmente nas Merkur modernas – em algumas vintage, nem tanto), exposição constante e ângulo de corte variável.

E isto resulta em quê…? Pois se passarmos pelo tópico sobre a agressividade (http://www.foroafeitado.com/foro/maquinillas-tradicionales-cuchillas-29/que-entendemos-agresividad-4190/), vemos que há três factores que podem determinar a maneira como barbeia um determinado cabeçal:

  • Exposição da lâmina
  • Ângulo de corte
  • Abertura

(http://up.picr.de/32408393ha.jpg)

… e resumindo muitíssimo, quanto maior a exposição, o ângulo de corte e a abertura… maior será a agressividade. Cada cabeçal combina estes três factores para proporcionar um barbear único. A essência da slant moderna está na forma como combina estes três factores. Se observarmos atentamente o cabeçal, veremos facilmente o que acontece (vão buscar as vossas slants, que eu estou sem câmara…!)
Ao longo do comprimento do cabeçal, encontramos um jogo entre o ângulo de corte e a abertura. Da esquerda para a direita (na Merkur slant moderna), encontramos um ângulo de corte alto (agressivo) com uma abertura pequena (pouco agressiva)… ou seja, a agressividade do ângulo de corte está atenuada pela benignidade da escassa abertura. Seguindo o gume para a direita, vemos que à medida que o ângulo de corte fica mais pequeno (ou seja, menos agressivo), a abertura vai aumentando (fica mais agressiva).

O resultado é um equilíbrio muito bom entre capacidade de corte e suavidade.
Obviamente, ao barbear, notaremos diferenças entre um extremo e outro do cabeçal. Como sempre diz o JCM, o extremo direito do cabeçal barbeará mais rente mesmo os pelos mais inclinados, e a minha mania pessoal com as slants é sobrepor passagens com 50% da largura do cabeçal, de modo a tirar partido a 100% da geometria variável deste cabeçal.

Sinto muito estar sem máquina fotográfica para ilustrar isto melhor e medir os ângulos reais, mas talvez a própria imagem da patente de Mr. Wild e o diagrama publicado pelo Teiste na sua revisão sirvam para que quem não tenha uma slant possa visualizar melhor.

(http://up.picr.de/32408400yr.jpg)

(http://up.picr.de/32408403fo.png)

Maior rigidez do gume

Apesar de parecer mentira, os chassis das motos têm flexibilidade, os dos automóveis também, inclusivamente há quem prefira pranchas de surf mais ou menos rígidas. No barbear acontece o mesmo, há cabeçais que proporcionam mais ou menos rigidez às lâminas, e isso é algo que se nota durante o barbear. De facto, este é um dos factores que faz com que eu deteste algumas máquinas, e é um dos calcanhares de Aquiles nas ajustáveis, que nas suas posições mais abertas começam a permitir as flexões e micro-vibrações no gume que contribuem para que o barbear não seja tão suave. O facto do cabeçal slant forçar a lâmina com uma curva longitudinal e outra transversal faz com que a rigidez do gume seja muito superior à configuração recta dos cabeçais mais comuns. Isto favorece um barbear mais suave.

Para visualizar isto de outra maneira (um pouco grosseira, mas talvez ajude), podemos imaginar como barbeia uma slant:

(http://i148.photobucket.com/albums/s36/TonySC/Shave/Slant/un-trabajo-agradable-40d20ef7.jpg)

(http://up.picr.de/32408407jg.jpg)
A Budding foi a primeira máquina corta-relvas… patenteada em  1827, quando a única alternativa era uma gadanha (que por certo também tentava aproveitar as virtudes do corte oblíquo graças à sua curvatura)

Com este pobre exemplo, podemos ver que por muito que queiramos, a disposição helicoidal da lâmina na slant faz com que seja impossível igualar o seu corte com o “Gillette Slide”. Simplesmente não é o mesmo.
O resultado: uma boa capacidade de corte com poucas exigências no que toca à técnica, e no que se refere ao ângulo.

Finalmente, ocorrem-me ainda algumas observações acerca destas máquinas:

Um desenho que funciona

É uma máquina bem desenhada, ou melhor dizendo, é um desenho que funciona. Há muitas máquinas com capacidade de corte similar, mas que pelo seu desenho (por favorecer tanto a capacidade de corte) adquirem outros inconvenientes. Reunir uma grande capacidade de corte com a suavidade e benignidade suficientes no mesmo cabeçal não é fácil nem frequente. Isto é algo que a slant faz, e muito bem… Obrigado, Mr. Wild!

De qualquer maneira, creio que devo enfatizar este comentário: A slant é a máquina definitiva?

Resposta curta: Não.
Resposta longa: Pois suponho que para alguns, sim e para outros não, mas em ambos os casos, creio que não depende da máquina. As slant alcançam um excelente equilíbrio entre capacidade de corte e suavidade, mas muitas outras máquinas fazem o mesmo e com facilidade. Agora bom, as slant barbeiam como muitas outras máquinas… poucas máquinas eu experimentei (vou em cerca de 60) que não possam proporcionar-me um apurado como o da slant, mas umas requerem muito mais atenção à técnica, isso sim.


A slant apura mais que as outras máquinas?

Pessoalmente tenho que dizer que não. Creio que o segredo da slant não está no facto de apurar mais que as outras, mas sim no facto de fazer com que atingir esse apurado seja mais fácil.

 
O lobo não é tão mau quanto o pintam

Não creio que seja uma máquina apenas para peritos, apesar do que se repete ad aeternum pela rede. De facto, e como explica o JCM na sua review, parece-me até uma boa escolha para o principiante. Devido ao peculiar desenho do seu cabeçal, não há erro nem complicação ao encontrar o ângulo correcto, já que na realidade estamos perante uma gama de ângulos.

Dito isto, a única recomendação que o iniciante deve observar é a de não exercer pressão. Feito isto, obter um BBS com a slant é tarefa de crianças… muito mais fácil do que com máquinas mais benignas. Se quisermos obter um BBS com máquinas muito benignas, a nossa técnica terá que ser proporcionalmente melhor.


Quanto mais gume… melhor

Aproveitando-nos das virtudes do desenho deste tipo de cabeçais, tiraremos o melhor partido a estas máquinas se usarmos as estas máquinas com as lâminas mais mais afiadas que encontremos. Feathers, Bolzanos e similares são a dádiva dos deuses para o “barbear helicoidal”.


Uma máquina para todos

Normalmente, a slant é recomendada para quem tem a barba dura ea pele sensível.
Entendo o factor “peles sensíveis” mas não o das “barbas duras”. Se corta bem as barbas duras, o que não fará com as barbas médias ou brandas? Pois, exactamente o mesmo, mas com mais facilidade. Usar a slant só em casos de barbas duras significa que as barbas médias e brandas percam a oportunidade de experimentar as bondades deste cabeçal. Na minha opinião, é uma máquina para todos.


Porque é que a slant agrada tanto?

Pois simplesmente porque pelo seu desenho, este cabeçal barbeia muito bem, e muito facilmente. Sinceramente, acredito que é uma máquina com uma grande capacidade de corte, e que ao mesmo tempo, é muito tolerante com a técnica. Desde a Gillette Tech mais benigna até a uma Futur com suas fauces abertas ao máximo, com quase qualquer máquina se pode conseguir um BBS se a técnica for suficientemente boa e adaptada à máquina. A slant apenas torna isto mais fácil… Pode-se pedir mais que isto?


"Put a twist in your shave" (dá uma volta ao teu barbear)

E depois de muito tempo com a slant, não posso fazer mais do que recomendar que ponhas uma lâmina retorcida no teu barbear. Não é que barbeie melhor que as outras, ou que apure mais que as outras. Com uma boa técnica, podes obter um BBS com muitas máquinas que são erradamente chamadas de “pouco agressivas.”. Mas o Sr. Wild colocou grandes escanhoados na mão daquele que se anime com uma slant.

Para muitos a slant é a máquina definitiva, para outros é apenas uma dessas que não acabam de os convencer, e para outros é apenas uma máquina mais. O que me atreveria a dizer é que é uma das máquinas que vale a pena experimentar. Ainda por cima, é fácil de comprar, está à distância de um click de rato, tem um preço razoável, e além disso, se não te agradar facilmente a venderás, e alguém no fórum vai-te estar agradecido por isso.

A mim, é um cabeçal que me agrada, se bem que pensando bem… existem poucas máquinas que não me agradem. Cada uma com sua história, as suas peculiaridades, as suas virtudes e defeitos, mas todas têm, para mim, uma atracção especial… esta, no entanto, defraudará poucos.

Saludos,

Tony

EDIT: links dos esquemas das patentes restaurados.
Excelente artigo, Oversaturn! Parabéns! Estou cada vez mais tentado a adquirir uma Slant como aquisição de uma segunda SR (relegando as ajustáveis para mais tarde).

Enviado do meu SM-A510F através do Tapatalk